áreas de atuação / Resíduos

Resíduos

  • imprimir
  • voltar

CTR – Central de Tratamento de Resíduos

TRATAMENTO TÉRMICO

Incinerador de Resíduos Líquidos

O Incinerador de Resíduos Líquidos, de tecnologia Sulzer, está capacitado e licenciado para assegurar a destruição térmica de 10.000 t/ano de resíduos perigosos, organoclorados, tendo como base um PCS (poder calorífico superior) de 3.322 Kcal/Kg. Com temperatura de combustão de até 1.350 °C e tempo de residência superior a 3 segundos, assegura a eficiência de destruição e remoção EDR ≥ 99,9999 % e eficiência de combustão ≥ 99,99%.

O processo de queima é realizado em dois estágios, ocorrendo no primeiro a maior parte da combustão, enquanto que no segundo a reação é complementada.  Os gases de combustão gerados são resfriados, lavados e neutralizados permitindo à planta superar os padrões legais de efluentes líquidos e emissões atmosféricas, as quais são monitoradas continuamente por instrumentos e analisadores em linha.

Incinerador de Líquidos

O Incinerador de Resíduos Sólidos, de tecnologia Andersen 2000 Inc. – EUA, está capacitado e licenciado para assegurar a destruição térmica de 5.000 t/ano de resíduos sólidos ou pastosos perigosos, organoclorado, tendo como base um PCS (poder calorífico superior) de 2.094 Kcal/Kg.

Composto por duas câmaras de combustão, sendo um tambor rotativo, no qual são alimentados os resíduos por meio de esteira transportadora, e um pós queimador, com temperatura de combustão de até 1100°C e tempo de residência superior a 4 segundos, assegura uma eficiência de destruição e remoção EDR ≥ 99,9999 % e eficiência de combustão ≥ 99,99%. Os gases de combustão gerados são resfriados, lavados e neutralizados, permitindo a planta superar os padrões legais de efluentes líquidos e emissões atmosféricas, as quais são monitoradas continuamente por instrumentos e analisadores em linha.

As cinzas são geradas pelo processo de acordo com a composição físico-química de cada resíduo incinerado. Elas são dispostas em aterro industrial próprio e licenciado, mediante comprovação da sua classe, podendo ser classe II A ou classe II B.

Testes de queima são realizados frequentemente para comprovar a capacidade e eficiência do Incineradores de Líquido e Sólidos, bem como, a qualidade das emissões líquidas e gasosas dos mesmos, quanto aos padrões estabelecidos pela Resolução CONAMA n° 316/02.

     

Incinerador de Sólidos

Ascarel/PCB

As Bifenilas Policloradas (PCBs) são compostos aromáticos clorados cuja família é constituída por cerca de 709 compostos diferentes. Os produtos comerciais fabricados à base de PCBs, são constituídos por óleos isolantes utilizados em transformadores, capacitores e outros equipamentos elétricos. As misturas de compostos nas quais predominam desde as tricloro-bifenilas até as heptacloro-bifenilas. Cada Bifenila Policlorada apresenta um número de isômeros que irá variar de acordo com a PCB específica. Comercialmente conhecido como Ascarel ou Askarel, dentre outras denominações, tais como Aroclor, Pyralene, Clorophen, Inerteen, Asbetol e Kneclor;

O Brasil ratificou a Convenção de Estocolmo em 24 de fevereiro de 2004, pelo Decreto nº 5.472, de 20 de junho de 2005, assumindo os compromissos internacionais de retirar o PCB de uso até 2025 e de promover sua completa destruição até 2028. Cabe salientar que a produção de PCB´s é proibida desde 1981.

Ressalta-se que os incineradores da Cetrel S/A atingem a eficiência de destruição de 99,9999% de PCBs, conforme exigido na sua Licença de Operação – Portaria INEMA 10.974, válida até 2020.

 

Coprocessamento

Em parceria com empresas Cimenteiras desde 2002, a Cetrel foi pioneira no desenvolvimento e licenciamento do coprocessamento de resíduos industriais perigosos e não perigosos em fornos de clínquer.

O coprocessamento proporciona o aproveitamento térmico e material dos resíduos, não havendo geração de cinzas. Todo resíduo é aproveitado termicamente e incorporado nos cristais do clínquer. Desta forma, a solução do coprocessamento reduz a queima de combustíveis fósseis e o consumo de recursos naturais não renováveis, dando uma destinação sustentável aos resíduos industriais.

Capacitada tecnicamente, com ativos adequados na sua Unidade de Blendagem, situada na via Atlântica, a Cetrel tem capacidade atual instalada para qualificar e tratar mais de 60.000 t/ano de resíduos industriais. A exemplo de: borras oleosas, terras contaminadas, materiais diversos contaminados; atendendo as especificações necessárias e estabelecidas pelas Cimenteiras, de forma a satisfazer às atuais exigências de controle ambiental das legislações vigentes.

Aterros

O processo de disposição final de resíduos sólidos da Classe II utiliza os aterros industriais, constituídos por células impermeabilizadas com camadas de argila compactadas, mantas de polietileno de alta densidade (PEAD) e sistema de drenagem interna (retirada do chorume). Essa configuração garante aos aterros a segurança ambiental adequada e a obediência estrita às exigências da legislação. Os aterros da Cetrel estão licenciados para a disposição de resíduos da Classe II A/B e alguns tipos de resíduos da Classe I, classificados como perigosos. Todo o chorume gerado nos aterros da empresa é encaminhado à Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), o que garante segurança adicional ao sistema.

Em 2017, a Cetrel S/A retornou a operar as Unidades de Tratamento Térmico e Disposição de Final de Resíduos, situadas no Polo Industrial de Camaçari, na rua Oxigênio e via Atlântica, respectivamente. Com utilização aprofundada de Engenharia Ambiental retoma seu posicionamento de liderança no mercado de Soluções Sustentáveis para tratamento e destinação de resíduos industriais.

Aterros Industriais Verticais

A Cetrel S.A. utiliza a mais moderna tecnologia para disposição de resíduos sólidos industriais: trata-se do Aterro Industrial Vertical, construído em camadas verticais a partir do nível do solo, o que permite a disposição numa mesma área de um maior volume de resíduos, diminuindo, portanto, a possibilidade de contaminação do solo e do lençol freático.  A construção dos aterros verticais utiliza a própria topografia da região, o que dá aos mesmos a configuração de pequenos morrotes, integrados à área onde estão inseridos. A Figura abaixo mostra as características técnicas dos aterros verticais da Cetrel S.A., observando-se que a Empresa segue o estado da arte da tecnologia, utilizando como referencial de excelência a empresa GSB (Al), detentora da melhor tecnologia de disposição de resíduos na Europa.

O processo de disposição final de resíduos sólidos Classe II, não perigosos, utiliza os aterros industriais, constituídos por células impermeabilizadas com camadas de argila compactadas, mantas de polietileno de alta densidade (PEAD) e sistema de drenagem interna (retirada do lixiviado). Essa configuração garante aos aterros a segurança ambiental adequada e a obediência estrita às exigências da legislação. Os aterros da Cetrel estão licenciados para a disposição de resíduos da Classe II A/B e telhas de amianto. Todo o lixiviado gerado nos aterros da empresa é direcionado via canaletas.